Rui Eduardo Paes - Jornalista, crítico de música e ensaísta

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
 

Os 100 discos da minha vida

_______________________

Top portugueses 2014

Os meus discos preferidos de – ou com – músicos portugueses que forem publicados ao longo do ano, sem outra ordem que não a temporal de edição e audição.

Fail Better!
“Zero Sum”
(JACC Records)

Pedra Contida
“Xisto”
(JACC Records)

Rodrigo Amado
“Wire Quartet”
(Clean Feed)

Orquestra Jazz de Matosinhos
"Jazz Composers Forum – Today’s European-American Big Band Writing”
(TOAP)

Thurston Moore / Pedro Sousa / Gabriel Ferrandini
“Live at ZDB”
(Shhpuma)

Sei Miguel
“Salvation Modes”
(Clean Feed)

Rodrigo Amado Motion Trio & Peter Evans
“The Freedom Principle”
(NoBusiness)

Rodrigo Amado Motion Trio & Peter Evans
“Live in Lisbon”
(NoBusiness)

Nate Wooley / Hugo Antunes / Chris Corsano
“Malus”
(NoBusiness)

Hyaena Fierling
“Blood of My Blood”
(Auricular Records)

João Mortágua
“Janela”
(Carimbo Porta-Jazz)

Luís Vicente / Rodrigo Pinheiro / Hernâni Faustino / Marco Franco
“Clocks & Clouds”
(FMR)

Mano Quarteto
“Número 1”
(Ponto Zurca)

Paulo Chagas Creative Ensemble
“Songs From the Books”
(Zpoluras)

                 
 

MESTRE REP

Desde que, no final dos anos 1980, me comecei a embrenhar mais a sério nestas coisas da música, cedo deparei com o trabalho de Rui Eduardo Paes. A forma atenta e conhecedora como escrevia acerca de músicas que para mim eram então absolutamente desconhecidas, teve o condão de despertar uma imensa curiosidade.

Primeiro na imprensa, depois na sua seminal produção literária e na internet, os escritos de REP marcaram muitos melómanos interessados em saber mais sobre as "músicas novas". Ao longo destas quase três décadas de actividade laboriosa e competente, tem documentado o melhor que se faz nos vários domínios da música experimental e improvisada, em que é autoridade incontornável, nacional e internacionalmente.

A sua consistente abordagem político-musicológica assumiu-se, por vezes, como fracturante e polémica, porém tal jamais lhe toldou a lucidez intelectual, o rigor enciclopédico, a densidade de análise. À sua intensa actividade como jornalista, ensaísta e crítico somam-se as de líder associativo, organizador de concertos, dinamizador de workshops e acções de formação. Sempre com aquela reconhecida e genuína paixão pela música.

A partir do momento em que tive a honra e a felicidade de trabalhar com ele – enquanto Editor da revista jazz.pt – constatei, de perto, a sua profunda sabedoria, verticalidade e inatacável profissionalismo.

Por tudo isto, obrigado, Mestre REP.

António Branco, crítico de música e divulgador (jazz.pt)
www.jazz.pt

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

In recent years the explosion of activity in Portugal has been one of the most exciting phenomena in European new music - in the domains of jazz, with festivals such as Jazz Em Agosto and labels such as Clean Feed, improvised music with the labels Creative Sources and Headlights, and electronica with the labels Sirr and Cronica - and musicologist Rui Eduardo Paes has been a key figure, helping to spread the word far and wide through his in depth interviews and articles, which have been translated into several languages and circulated throughout the world. Paes is a rare example of something rare: a journalist whose work is as essential and informative as it is well-researched and passionate. I commend the work of Rui Eduardo Paes without reservation to anyone who claims to be interested in music today.

Dan Warburton, musician and music critic/journalist
(Wire, Paris Transatlantic)
www.thewire.co.uk
www.paristransatlantic.com/ magazine/main/home.html

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Rui Eduardo Paes na Internet

“(...) homem atento ao que se vai passando (...)”
João Martins, Diário de Bordo
(http://joaomartins.entropiadesign.org)

“(...) personalidade maior entre os analistas das denominadas 'novas músicas'; experimentais, improvisadas - ou apenas novas. Excelente.”
A Trompa
(http://a-trompa.net)

“Não subscrevo 90% da abordagem político-musical do musicólogo Rui Eduardo Paes, mas também não dispenso cada página dos seus livros. São das melhores enciclopédias musicais que conheço. Na minha vida algumas pessoas ensinaram-me muito de música, mesmo que nunca o soubessem. São eles REP, Jorge Lima Barreto, António Sérgio, Sofia Alves ou Luís Filipe Barros, entre muitos outros de rádios piratas. Recorrentemente regresso aos livros de Paes e só tenho a agradecer-lhe este grande pedaço de obra que nos oferece. Vale mesmo a pena procurar os seus livros.”
Sonido
(http://sonido.blogs.sapo.pt)

“Muito bom, como sempre!”
Osama Secret Lovers
(http://osamasecretlovers.blogspot.com)

“Uma experiência de vida...”
Santos da Casa
(http://santosdacasa.blogspot.com)

“(...) um camarada que escreve (muito bem, por sinal) sobre avant jazz contemporâneo na 'última flor da Lácio': o lusitano Rui Eduardo Paes...”
Soundchaser
(www.soundchaser.com.br)

“(...) o incansável e meritório trabalho do prosélito jornalista/crítico/operador cultural Rui Eduardo Paes...”
Jorge Lima Barreto, Meloteca
(www.meloteca.com)

“Neste campo, são nomes fundamentais na musicologia portuguesa Rui Eduardo Paes e Jorge Lima Barreto (...). Desde 1985 que Paes documenta as novas músicas em ensaios elaborados, tendo conseguido estabelecer uma obra consistente...”
Nuno Catarino, Bodyspace
(www.bodyspace.net)

“Urra!! (...) os meus dois pontos de exclamação justificam-se plenamente, porque não é REP quem quer, apenas quem sabe...”
Luís Mourão, Manchas
(http://blogmanchas.blogspot.com)

“Admiração e respeito.” (entre figuras como Luís Pacheco, Mike Patton, Gilles Lipovetsky, John Cage, Adolfo Luxúria Canibal, Pedro Mexia, etc.)
Victor Afonso / Kubik, O Homem Que Sabia Demasiado
(http://ohomemquesabiademasiado.blogspot.com)

“(...) editor da excelente revista jazz.pt.”
Palco Principal
(http://palcoprincipal.clix.pt)

“(...) one of the main writers, critics and journalists specialized in experimental music.”
citação de Paulo Maria Rodrigues retirada de ensaio publicado na revista New Interfaces for Musical Expression; Universidade de Aveiro – Departamento de Arte e Comunicação
(www.alcultur.org)

“Ah, e o texto é do grande Rui Eduardo Paes.”
Fórum Sons
(http://forumsons.informe.com)

“Rui Eduardo Paes é um autor que personifica uma excepção (...)”
Live Maps Brasil
(www.livemaps.com.br)

“(...) Rui Eduardo Paes, o mestre português da escrita sobre música – não acredites em mais nada.”
Il Miglior Fabbro
(http://ilmigliorfabbro.wordpress.com)

"(...) Rui Eduardo Paes, o melhor crítico de música em Portugal (...)"
Blogue Bitaites, Marco Santos
(http://bitaites.org/)

"(...) na jazz.pt escrevem notáveis jornalistas e críticos de música, com um grande conhecimento histórico das vanguardas do jazz e das linguagens estéticas fragmentárias da música contemporânea. Alguns desses escribas contam com longos anos de experiência jornalística especializada, como é o caso de Rui Eduardo Paes (...)"
Blogue O Homem Que Sabia Demasiado, Vítor Afonso
(http://ohomemquesabiademasiado.blogspot.com/)

     

Livros disponíveis na loja online da Chili com Carne

‘A’ Maiúsculo com Círculo à Volta

Bestiário Ilustríssimo

‘A’ Maiúsculo com

Bestiário Ilustríssimo

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Lançamento do livro Bestiário Ilustríssimo

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

NOVAS
Última actualização:
1 de Maio de 2014

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Gil Dionísio
A caminho do futuro

Gil Dionísio

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Fagote
O mais “cool” dos instrumentos

Fagote

   
  Para cima / Up