Rui Eduardo Paes - Jornalista, crítico de música e ensaísta

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
 


Foto: Hervé Hette

NOVO:
Galeria de fotos

Se não conseguir visualizar a galeria, actualize para o Internet Explorer 9 ou superior ou opte pelo Chrome ou Firefox

_______________________

Top 35 Portugueses 2013

O ano que passou foi especialmente rico em edições de, ou com, músicos nacionais. Parece confirmar-se aquela máxima que diz que a criatividade se solta quando os tempos são maus, sempre um sinal de resistência ao marasmo e à mediocridade. Eis a lista dos meus favoritos...

Joana Sá
“Elogio da Desordem”
(Shhpuma)

Red Trio
“Rebento”
(NoBusiness)

Rodrigo Amado Motion Trio
& Jeb Bishop

“The Flame Alphabet”
(Not Two Records)

Ernesto Rodrigues / Ricardo Guerreiro / Christian Wolfarth
“All About Mimi”
(Creative Sources)

Big Bold Back Bone
“Clouds Clues”
(Wide Ear)

Luís Lopes Humanization 4tet
“Live in Madison”
(Ayler Records)

Eduardo Raon
“On the Drive for Impulsive Actions”
(Shhpuma)

António Pinho Vargas
& Drumming GP

“Step by Step”
(JACC Records)

Abdul Moimême
“Mekhaanu – La Forêt des Mecanismes Sauvages”
(Insubordinations)

Eitr
“Trees Have Cancer Too”
(Mazagran)

Signs of the Silhouette feat. Hernâni Faustino & Helena Espvall
“Land Garden”
(Signs of the Silhouette)

Luís Lopes
“Noise Solo”
(LPZ Records)

Lama & Chris Speed
“Lamaçal”
(Clean Feed)

SSS-Q
“Songs From My Backyard”
(Wasser Bassin)

Susana Santos Silva / Torbjörn Zetterberg
“Almost Tomorrow”
(Clean Feed)

Timespine
“Timespine”
(Shhpuma)

Nelson Cascais Decateto
“A Evolução da Forma”
(Sintoma Records)

Joana Sá / Luís José Martins
“Almost a Song”
(Shhpuma)

Queixas
“Eye of Newt”
(Insubordinations)

Le Syndicat & Sektor 304
“Geometry of Chromium Skin”
(Rotorelief)

Jon Irabagon / Hernâni Faustino / Gabriel Ferrandini
“Absolut Zero”
(Not Two Records)

Paulo Chagas / Tania Giannouli
“Forest Stories”
(Rattle)

Trisonte
“Monster’s Lullaby”
(Sintoma Records)

Norberto Lobo / João Lobo
“Mogul de Jade”
(Mbari)

Vítor Rua
“Of Melancholy”
(Asoka Miau House Productions)

Manuel Mota
“Rck”
(Dromos)

Luís Vicente / Jari Marjamaki
“Alternate Translations”
(Mimi Records)

João Hasselberg
”Whatever It Is You're Seeking, Won't Come in the Form You're Expecting”
(Sintoma Records)

Toshimaru Nakamura / Manuel Mota
“Foz”
(Dromos)

João Firmino
“A Casa da Árvore”
(Sintoma Records)

Bruno Santos Ensemble
“Bruno Santos Ensemble”
(TOAP / OJM)

Desidério Lázaro
“Cérebro: Estado Zero”
(Sintoma Records)

Improvisers Consort
“Live in Ler Devagar, Lisboa”
(White Noise Generator)

Hugo Antunes / Nate Wooley / Giovanni Di Domenico / Daniele Martini / Chris Corsano
“Posh Scorch”
(Orre Records)

Baba Mongol
“Eles e os Outros”
(Carimbo Porta-Jazz)

                 
 

MESTRE REP

Desde que, no final dos anos 1980, me comecei a embrenhar mais a sério nestas coisas da música, cedo deparei com o trabalho de Rui Eduardo Paes. A forma atenta e conhecedora como escrevia acerca de músicas que para mim eram então absolutamente desconhecidas, teve o condão de despertar uma imensa curiosidade.

Primeiro na imprensa, depois na sua seminal produção literária e na internet, os escritos de REP marcaram muitos melómanos interessados em saber mais sobre as "músicas novas". Ao longo destas quase três décadas de actividade laboriosa e competente, tem documentado o melhor que se faz nos vários domínios da música experimental e improvisada, em que é autoridade incontornável, nacional e internacionalmente.

A sua consistente abordagem político-musicológica assumiu-se, por vezes, como fracturante e polémica, porém tal jamais lhe toldou a lucidez intelectual, o rigor enciclopédico, a densidade de análise. À sua intensa actividade como jornalista, ensaísta e crítico somam-se as de líder associativo, organizador de concertos, dinamizador de workshops e acções de formação. Sempre com aquela reconhecida e genuína paixão pela música.

A partir do momento em que tive a honra e a felicidade de trabalhar com ele – enquanto Editor da revista jazz.pt – constatei, de perto, a sua profunda sabedoria, verticalidade e inatacável profissionalismo.

Por tudo isto, obrigado, Mestre REP.

António Branco, crítico de música e divulgador (jazz.pt)
www.jazz.pt

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

In recent years the explosion of activity in Portugal has been one of the most exciting phenomena in European new music - in the domains of jazz, with festivals such as Jazz Em Agosto and labels such as Clean Feed, improvised music with the labels Creative Sources and Headlights, and electronica with the labels Sirr and Cronica - and musicologist Rui Eduardo Paes has been a key figure, helping to spread the word far and wide through his in depth interviews and articles, which have been translated into several languages and circulated throughout the world. Paes is a rare example of something rare: a journalist whose work is as essential and informative as it is well-researched and passionate. I commend the work of Rui Eduardo Paes without reservation to anyone who claims to be interested in music today.

Dan Warburton, musician and music critic/journalist
(Wire, Paris Transatlantic)
www.thewire.co.uk
www.paristransatlantic.com/ magazine/main/home.html

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Rui Eduardo Paes na Internet

“(...) homem atento ao que se vai passando (...)”
João Martins, Diário de Bordo
(http://joaomartins.entropiadesign.org)

“(...) personalidade maior entre os analistas das denominadas 'novas músicas'; experimentais, improvisadas - ou apenas novas. Excelente.”
A Trompa
(http://a-trompa.net)

“Não subscrevo 90% da abordagem político-musical do musicólogo Rui Eduardo Paes, mas também não dispenso cada página dos seus livros. São das melhores enciclopédias musicais que conheço. Na minha vida algumas pessoas ensinaram-me muito de música, mesmo que nunca o soubessem. São eles REP, Jorge Lima Barreto, António Sérgio, Sofia Alves ou Luís Filipe Barros, entre muitos outros de rádios piratas. Recorrentemente regresso aos livros de Paes e só tenho a agradecer-lhe este grande pedaço de obra que nos oferece. Vale mesmo a pena procurar os seus livros.”
Sonido
(http://sonido.blogs.sapo.pt)

“Muito bom, como sempre!”
Osama Secret Lovers
(http://osamasecretlovers.blogspot.com)

“Uma experiência de vida...”
Santos da Casa
(http://santosdacasa.blogspot.com)

“(...) um camarada que escreve (muito bem, por sinal) sobre avant jazz contemporâneo na 'última flor da Lácio': o lusitano Rui Eduardo Paes...”
Soundchaser
(www.soundchaser.com.br)

“(...) o incansável e meritório trabalho do prosélito jornalista/crítico/operador cultural Rui Eduardo Paes...”
Jorge Lima Barreto, Meloteca
(www.meloteca.com)

“Neste campo, são nomes fundamentais na musicologia portuguesa Rui Eduardo Paes e Jorge Lima Barreto (...). Desde 1985 que Paes documenta as novas músicas em ensaios elaborados, tendo conseguido estabelecer uma obra consistente...”
Nuno Catarino, Bodyspace
(www.bodyspace.net)

“Urra!! (...) os meus dois pontos de exclamação justificam-se plenamente, porque não é REP quem quer, apenas quem sabe...”
Luís Mourão, Manchas
(http://blogmanchas.blogspot.com)

“Admiração e respeito.” (entre figuras como Luís Pacheco, Mike Patton, Gilles Lipovetsky, John Cage, Adolfo Luxúria Canibal, Pedro Mexia, etc.)
Victor Afonso / Kubik, O Homem Que Sabia Demasiado
(http://ohomemquesabiademasiado.blogspot.com)

“(...) editor da excelente revista jazz.pt.”
Palco Principal
(http://palcoprincipal.clix.pt)

“(...) one of the main writers, critics and journalists specialized in experimental music.”
citação de Paulo Maria Rodrigues retirada de ensaio publicado na revista New Interfaces for Musical Expression; Universidade de Aveiro – Departamento de Arte e Comunicação
(www.alcultur.org)

“Ah, e o texto é do grande Rui Eduardo Paes.”
Fórum Sons
(http://forumsons.informe.com)

“Rui Eduardo Paes é um autor que personifica uma excepção (...)”
Live Maps Brasil
(www.livemaps.com.br)

“(...) Rui Eduardo Paes, o mestre português da escrita sobre música – não acredites em mais nada.”
Il Miglior Fabbro
(http://ilmigliorfabbro.wordpress.com)

"(...) Rui Eduardo Paes, o melhor crítico de música em Portugal (...)"
Blogue Bitaites, Marco Santos
(http://bitaites.org/)

"(...) na jazz.pt escrevem notáveis jornalistas e críticos de música, com um grande conhecimento histórico das vanguardas do jazz e das linguagens estéticas fragmentárias da música contemporânea. Alguns desses escribas contam com longos anos de experiência jornalística especializada, como é o caso de Rui Eduardo Paes (...)"
Blogue O Homem Que Sabia Demasiado, Vítor Afonso
(http://ohomemquesabiademasiado.blogspot.com/)

     

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

NOVAS
Última actualização:
1 de Janeiro de 2014

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Fagote
O mais “cool” dos instrumentos

Fagote

 

Livros disponíveis na loja online da Chili com Carne

‘A’ Maiúsculo com Círculo à Volta

Bestiário Ilustríssimo

‘A’ Maiúsculo com

Bestiário Ilustríssimo

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Lançamento do livro Bestiário Ilustríssimo

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Otomo Yoshihide
Do como
ao porquê

Yoshihide

   
  Para cima / Up